Manlio Dinucci


SUBTITLES --EN, FR, IT, PT, RO, SP

Please click upon the dental wheel at the bottom right side and choose your language.

Saturday, May 6, 2017

Português -- Sauron Domina em Washington



Sauron Rules in Washington         
Sauron Domina em Washington
Paul Craig Roberts
"O problema é que o mundo escutou os americanos durante demasiado tempo." - Dr. Julian Osborne, a partir da versão cinematográfica em 2000, do livro ‘On the Beach’ de Nevil Shute, publicado em 1957.

Um leitor perguntou por que razão os neoconservadores agem a favor de uma guerra nuclear, se bem que não haja vencedores. Visto que todos morrem, qual é o objectivo?
A resposta é que, no mínimo, os neoconservadores acreditam que os EUA podem vencer e, talvez, sem qualquer dano.
O seu plano irresponsável é o seguinte: Washington vai rodear a Rússia e a China com bases de anti-mísseis balísticos, a fim de fornecer um escudo contra um ataque de retaliação da Rússia e da China. Além disso, essas bases anti-ABM dos EUA também podem posicionar mísseis de ataque nuclear desconhecidos da Rússia e da China, reduzindo assim o tempo de alerta para cinco minutos, deixando as vítimas de Washington com pouco ou mesmo nenhum tempo, para tomar uma decisão.
Os neoconservadores pensam que o primeiro ataque de Washington irá prejudicar de tal modo as capacidades de retaliação da Rússia e da China, que ambos os governos se renderão, em vez de lançar um contra ataque como resposta. As lideranças russa e chinesa concluirão que, com as suas forças defensivas reduzidas, haverá poucas oportunidades para que muitos dos seus ICBM (Misseis Balísticos Intercontinentais) possam ultrapassar o escudo ABM (Missil anti-balístico)de Washington, deixando, em grande parte, os EUA intactos. Uma fraca retaliação da Rússia e da China convidaria a uma segunda onda de ataques nucleares dos EUA, que eliminaria cidades russas e chinesas, matando milhões de pessoas e deixando esses países em ruínas.
Em resumo, os belicistas americanos estão a apostar que as lideranças da Rússia e da China se submeteriam, em vez de correr o risco de uma destruição total.
Não há dúvida de que os neoconservadores são suficientemente malvados para lançar um ataque nuclear preventivo, mas possivelmente o plano visa, apenas, a colocar a Rússia e a China numa situação em que os seus líderes concluam que o baralho está empilhado contra eles e, portanto, eles têm de aceitar a hegemonia de Washington.
Para se sentir seguro na sua *hegemonia, Washington teria de ordenar à Rússia e à China que se desarmassem.
Este plano está cheio de riscos. As estimativas erradas são um atributo da guerra. É imprudente e irresponsável arriscar a vida do planeta por nada mais do que a hegemonia de Washington.
O plano neoconservador coloca a Europa, o Reino Unido, o Japão, a Coréia do Sul e a Austrália em alto risco caso a Rússia e a China retaliem. O escudo ABM de Washington não pode proteger a Europa dos mísseis de cruzeiro nucleares da Rússia ou da Força Aérea da Rússia, de modo que a Europa deixaria de existir. A resposta da China atingiria o Japão, a Coréia do Sul e a Austrália.
A esperança da Rússia e de todas as pessoas com sanidade mental é que os vassalos de Washington irão compreender que são eles que estão em risco, um risco do qual  não têm nada a ganhar, mas tudo a perder, e repudiarão a sua vassalagem a Washington e irão dispensar as bases militares dos EUA. Deveria ser claro para os políticos europeus que estão a ser arrastados para um conflito com a Rússia. Esta semana, o comandante da NATO/OTAN disse no Congresso dos EUA, que precisava de mais financiamento para uma presença militar na Europa mais destacada, a fim de combater "o renascimento da Rússia". https://www.rt.com/news/387063-nato-counter-resurgent-russia/
Examinemos o que se considera como "o renascimento da Rússia". Significa uma Rússia suficientemente forte e confiante para defender os seus interesses e os dos seus aliados. Por outras palavras, a Rússia foi capaz de bloquear a invasão da Síria e o bombardeamento do Irão planeados por Obama e permitiu que as forças armadas sírias derrotassem a força do ISIS enviada por Obama e Hillary para derrubar Assad.
A Rússia está a "ressurgir" porque é capaz de bloquear as acções unilaterais dos EUA contra outros países.
Esta capacidade é bem sucedida devido à doutrina neoconservadora de Wolfowitz, que diz que o objectivo principal da política externa dos EUA é impedir a ascensão de qualquer país que possa agir em oposição à acção unilateral de Washington.
Enquanto os neoconservadores estiveram absorvidos com as suas guerras "surpreendentemente fáceis" que duraram 16 anos, a Rússia e a China emergiram como um controlo sobre o unilateralismo que Washington tinha desfrutado desde o colapso da União Soviética. O que Washington está a tentar fazer é tornar a apoderar-se da sua capacidade de agir em todo o mundo sem que haja qualquer constrangimento de qualquer outro país. Isso exige que a Rússia e a China se afastem.
A Rússia e a China vão aceitar sem qualquer oposição? É possível, mas eu não apostaria a vida do planeta nesse pressuposto. Ambos os governos têm uma consciência moral que falta totalmente a Washington. Nenhum desses governos fica estarrecido com a propaganda ocidental. O Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Lavrov, disse ontem: “Escutamos inúmeras acusações histéricas contra a Rússia, mas as incriminações estão sempre destituídas de qualquer evidência.
Possivelmente, a Rússia e a China poderiam sacrificar a sua soberania a favor da vida na Terra. Mas essa mesma consciência moral irá motivá-los a opor-se ao mal que é Washington para não sucumbir à depravação moral. Portanto, considero que o mal que governa em Washington está conduzir os Estados Unidos e os seus Estados vassalos à destruição total.
Tendo convencido as lideranças russa e chinesa de que Washington pretende bombardear os seus países com um ataque surpresa (veja, por exemplo, http://www.fort-russ.com/2017/04/us-forces-preparing-sudden-nuclear.html a questão é como será que a Rússia e a China respondem? Ficam sentados  e aguardam um ataque, ou antecipam um ataque deles a Washington? 
O que é que vocês fariam? Defendiam a vossa vida submetendo-se ao mal, ou destrui-lo-iam?
Por relatar a verdade o meu nome foi colocado em listas (financiadas por quem?) como um "agente russo". Na verdade, sou um agente de todas as pessoas que desaprovam a disposição de Washington de usar a guerra nuclear para estabelecer a sua hegemonia sobre mundo. Mas vamos compreender o que significa ser um "agente russo".
Significa respeitar o direito internacional, o que Washington não faz. Significa respeitar a vida, o que Washington não faz. Significa respeitar os interesses nacionais de outros países, o que Washington não faz. Significa responder a provocações com diplomacia e pedidos de cooperação, o que Washington não faz. Mas a Rússia sim, fá-lo. Claro que um "agente russo" é uma pessoa com moral que quer defender a vida, a identidade nacional e a dignidade de outros povos.
Washington é que quer apagar a moralidade humana e tornar-se o dono do planeta. Como já escrevi anteriormente, Washington sem qualquer pergunta é Sauron. A única questão importante é saber se ainda há bondade suficiente no mundo para resistir e superar a maldade e depravação de Washington.

* Hegemonia significa preponderância de alguma coisa sobre outra. É a supremacia de um povo sobre outros povos, ou seja, a superioridade que um país tem sobre os demais, tornando-se assim um Estado soberano.

Tradutora: Maria Luísa de Vasconcellos
Email: luisavasconcellos2012@gmail.com

No comments:

Post a Comment

PUTIN FRENCH

putin

VLADIMIR SOLOVYOV WORLD ORDER

PRESIDENT

lie we live

pt

xmas





“Glory to God in the highest,

and on Earth

Peace, Good Will toward men.”

This Christmas, Give Peace